Agentes

De Teia Social
Ir para: navegação, pesquisa

Conteúdo

Introdução a agentes

Nesse tema estão as organizações, organismos, órgãos, grupos, funções, papéis e pessoas que se relacionam com o tema, inclusive em relação à competência territorial e atribuição. Estão também o sociograma das relações com as outras organizações e as relações contínuas como parcerias e convênios.

Na organização detalham-se as classes e espécies de organismos componentes e a matriz de responsabilidades no tema. Podem constar também as caixas de atividades ativas e registros da administração, operação e suporte e atuação finalística do organismo que sejam pertinentes com o tema.

Exemplo de adoção do tema 'agentes' como relevante para a atuação [1]

Exemplo de lista e dados de agentes na União Européia [2]

Princípio da integração

Participação social na Inglaterra e melhoria dos serviços [3]

Agentes por setor

1o Setor - Público

Brasil, país, república federativa. [4]

Equilíbrio federativo no setor público: http://www.youtube.com/watch?v=cgpT7fk6Pgg

Agências Reguladoras: http://www.youtube.com/watch?v=b_wa3te0snM

Pesquisar organizações públicas (ligadas à 'Justiça') por localização [5]

2o Setor - Privado

3o Setor - Sociedade Civil organizada (Público-privado)

http://www.ipea.gov.br/desafios/index.php?option=com_content&view=article&id=3022:catid=28&Itemid=23

4o Setor - Sociedade Civil não organizada

Ação dos Cristãos para Abolição da Tortura - ACAT Brasil Arquidiocese de São Paulo

Associação Inclui Mais

Associação Juízes para Democracia – AJD

Associação Nacional de Direitos Humanos - Pesquisa e Pós-Graduação (ANDHEP)

Associação pela Reforma Prisional – ARP

CDDH Campinas

Centro de Direitos Humanos da Baixada Santista "Ir. Maria Dolores"

Centro de Direitos Humanos de Campinas “Margarida Maria Alves”

Centro de Direitos Humanos de Sapopemba - CDHS

Centro Gaspar Garcia de Direitos Humanos

Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos Políticos

Conectas Direitos Humanos

Conselho Regional de Psicologia/SP

Instituto Práxis de Direitos Humanos

Identidade – Grupo de Luta pela Diversidade Sexual, de Campinas

Instituto de Comunicação e Cidadania - ICC

Instituto de Defensores de direitos Humanos - DDH

Instituto de Defesa do Direito de Defesa – IDDD

Instituto Popular de Educação em Direitos Humanos – IPEDH

Instituto Pro Bono

Instituto Sou da Paz

Instituto Terra Trabalho e Cidadania- ITTC

Instituto Vladimir Herzog

Justiça Global

Núcleo de Estudos da Violência – NEV/USP

Núcleo Especializado de Cidadania e Direitos Humanos da Defensoria Pública do Estado de São Paulo

Núcleo Especializado de Situação Carcerária da Defensoria Pública do Estado de São Paulo

Movimento Nacional de Direitos Humanos de São Paulo -MNDH-SP

Movimento Nacional de Direitos Humanos Nacional

Rede Justiça Criminal

Pastoral Carcerária

Ouvidoria Geral da Defensoria Pública do Estado de São Paulo

União de Mulheres de São Paulo

Agentes por território

Internacional

Nacional

http://globalvoicesonline.org/-/world/latin-america/brazil/

Federal

Atividades (programas etc.) da União Federal na federação [6]

Estadual

http://www.seade.gov.br/produtos/rnc/

Agentes em ordem alfabética

  • Abrangência internacional [7]

Agentes por grau

1. Pessoa,

2. Organização,

3. Componente de organização,

4. Componente de componente,

5. Função,

Promotor de Justiça, estadual ou federal (procurador da República) [8]

6. Papéis.

Sociograma

Relações entre agentes.

Aplicativo 'Eles mandam' da Repórter Brasil [9]

Relações entre políticos e empresas em Portugal [10]

Setores

V5.1.1 Setor da organização: 1º Setor (público), 2º Setor (privado), 3º Setor (não governamental), 4º Setor (Cidadão e sociedade civil não organizada).

Ver organizações internacionais, como em [11].

1º Setor - Público

Agência Nacional de Telecomunicações - Anatel

| Centro de Tecnologia da Informação Renato Archer

| Instituto Nacional de Tecnologia da Informação

Ministério das Comunicações

Minitério da Educação

Ministério da Defesa e DECEA - Departamento de Segurança de Vôo

Receita Federal/Alfândega.

Vigiagro

Câmara dos Deputados e espaço para participação social [12]

Congresso Nacional e controle social [13]

Diretoria de fiscalização de produtos controlados do Exército brasileiro [14]

Ministério Público

http://www.mp.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=3626&tit=NESTA-SEGUNDA-MP-resolutivo-e-tema-de-palestra-com-Marcelo-Goulart-veja-entrevista

Ministério Público Federal - MPF. Apresentação em vídeo [15]

[16]

Vídeos do 1o Congresso Pensar MPF [17] [18] [19]

  • Convênio inédito permitirá acesso do Ministério Público Federal a informações de nascimentos, casamentos e óbitos no Estado de São Paulo [20]

Minitério Público Estadual

Ministério Público no mundo [21]

Judiciário

http://www.youtube.com/watch?v=94U2ypC4v0A&feature=youtu.be

Como vivem os juízes na Suécia: [22]

Forças de Segurança

Polícia Federal

Secretarias de Segurança Pública Estadual e Municipais de Indaiatuba e de Campinas

Polícias Federal, Militar, Civil e Guarda Municipal

Polícia Rodoviária Estadual

Empresas públicas

Empresa de Trânsito de Campinas - EMDEC

Infraero

Agências reguladoras e executivas

Agência Nacional de Aviação - ANAC

Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa


Autarquias

Ibama

2º Setor - Privado

O Setor privado não é amigo da corrupção. Um mercado saudável e competitivo depende da ação pública correta. Vejam artigo no assunto [23]

http://www.transparency.org/topic/detail/private_sector

Concessionária do Aeroporto de Viracopos

Sócios e diretores de concessionárias de Rádio e Tv: http://www.informacaopublica.org.br/node/2856

3º Setor - Sociedade Civil organizada

Toronto Community Foundation [24]

http://www.cidadedemocratica.org.br

The Fetzer Institute: [25]

http://www.cntu.org.br/cntu/subHP.php?secao=Federacoes

http://www.cntu.org.br/cntu/index.php

| Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária - ABRAÇO

| Associação Mundial de Rádios Comunitárias - AMARC

| Associação das Rádios Públicas - ARPUB

| CPQD

| International Research Group on Law & Urban Space

| Observatório do direito à comunicação

PUC-Campinas

| Radios Comunitarias da Região de Campinas

| Centro Brasileiro de Análise e Planejamento - CEBRAP

Provedoras de tv por assinatura e contato: [26]

Centre for Social Innovation:[27]

TED: [28]


Agentes/Grupo nacional de membros do ministerio publico


----


Ver Atuação de organização do 1o Setor em A7.3 em diante.

Ver Administração de organização do 1o Setor, em A7.2.


===Classes e espécies de organização=== (inclui conglomerado)


Instituições de Ensino Superior

Ministerio Publico

V5.1.2.1.1 Ministério Público Estadual e do Distrito Federal.

| Ministérios Públicos nos Estados

V5.1.2.1.2 Ministério Público Federal.

V5.1.2.1.3 Ministério Público do Trabalho.

| Ministérios Públicos Federal, do Trabalho, do Distrito Federal e Militar

V5.1.2.1.4 Ministério Público Militar.

V5.1.2.1.5 Ministério Público junto ao Tribunal de Contas.

V5.1.2.2 Tribunal de Contas.

V5.1.2.3 Força de segurança.

Forças armadas.

Polícia militar.

Polícia civil e federal.

V5.1.2.4 Conselho de controle externo

Conselho Nacional de Justiça - CNJ. Os vídeos de todas as sessões ficarão disponíveis no YouTube 24 horas após cada uma delas, como podem ver em http://cnj.jus.br/p7bd

CNMP.

V5.1.3 Parcerias, convênios e sociograma da organização.

[29]


Aqui ficam as cooperação e parcerias interinstitucionais que dão suporte às atividades de interação e colaboração entre entidades diversas.

MPF e Universidades

Parceria MPF + PUC-Campinas


O presente projeto visa estabelecer um sistema de cooperação técnica ampla e multidisciplinar, integrado às atividades acadêmicas desenvolvidas por instituição superior de ensino e que produza conhecimento útil à atuação do Ministério Público Federal e da sociedade; nomeia-se 'teia social' porque reflete o escopo de integração do MPF à sociedade civil em todos os seus setores.

Conformeo item 1.3 do Convênio da parceria MPF – PUC-Campinas:

”Fica estabelecido, de comum acordo, o desenvolvimento das atividades necessárias à cooperação na defesa dos direitos individuais homogêneos, coletivos e difusos, permitindo que alunos da PUC-Campinas promovam estudos, pesquisas, projetos e análises relativas às diversas temáticas de atuação do MPF, dentre outras previstas no ordenamento jurídico, direitos humanos, defesa do consumidor e da ordem econômica, patrimônio público e social,preservação do patrimônio histórico, artístico e ecológico da sociedade brasileira, saúde pública e educação. “

O projeto colaborativo permite a interação entre o MPF e a PUC-Campinas, com a participação de docentes e alunos, para promover grupos de estudos e núcleos de práticas aplicados à Gestãode Direitos Coletivos. Está bem definido que as atividades previstas ocorrem internamente ao funcionamento à instituição de ensino, ou seja, são atividades acadêmicas, ainda que versem temas e cooperem com as atribuições do Ministério Público Federal.

Parceria MPF + FDUSP - Ribeirão Preto

Convênio entre o MPF-PRSP e a Faculdade de Direito da USP.

Convênio celebrado com a Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, na cidade de Ribeirão Preto, para a prática de estágio curricular obrigatório por parte dos alunos de direito daquela faculdade nas dependências do MPF.

TERMO DE CONVÊNIO PRSP - FDUSP

Parcerias MPF: IBDD, Safernet e Escola da Gente [30]

Parceria MPF + UFSC

Convênio celebrado com a Universidade Federal de Santa Catarina para cooperação técnica que venha a auxiliar em eventual necessidade de conhecimento científico não jurídico útil à atuação finalística.

Termos de Convênio MPF e CREA -SP, e MPPF-CREMESP: [31]

Ver na 3ª CCR: Termo de Cooperação Técnica ANS-MPF 2009

Ver na 3ª CCR: Termo de Cooperação Técnica CVM-MPF 2008

Ver na 3ª CCR:Convênio SDE - MPF

Ver na 3ª CCR: Convênio MPF - SEAE


Redes do Planejamento e Gestão Sistêmicos

Membros de MPs


|Sistema de Informações - Promotores de Justiça

Organizações

V5.2.1 Organograma, classes e espécies de organismos, matriz de responsabilidades da organização.

Gabinete3. PRSP

(por organismos e papéis), demandante, demandado, organismo processante, etc.

V5.2.2 Caixas de atividades dos organismos.

Órgãos

V5.3.1 Funções, exercentes e Matriz de responsabilidades do organismo (por funções e papéis).

V5.3.2 Caixas de atividades das funções.

Páginas de organismos

  • Agência experimental de propaganda e marketing da PUC-Campinas [32]
  • Laboratório de geoprocessamento da faculdade de geografia da PUC-Campinas.

Funções

Papéis

V5.4.1 Caixa de atividades da função.

V5.4.2 Temas funcionais.

V5.4.3 Pessoa no exercício de função.

V5.4.4 Regime de pessoal, inclui ingresso e saída de função.

V5.4.5 Regime de responsabilidade da função.


Página do grupo dos agentes da função: integrante de projeto – i-proj.

É categoria geral que agrega todas as funções presentes em um projeto.

Página do grupo dos agentes da Função: agente de integração – ai-proj.

Página do grupo dos agentes da Função: patrocinador de projeto - pat-proj.

Página do grupo dos agentes da Função: gestor de projeto – ge-proj.

Página do grupo dos agentes da Função: docente supervisor em projeto - doc-proj

Página do grupo dos agentes da Função: relator de projeto - re-proj

Página do grupo dos agentes da Função: parte interessada do projeto – pai-proj.

Página do grupo dos agentes da Função: colaborador voluntário e eventual em projeto – cve-proj.

Página do grupo dos agentes da Função: colaborador de projeto – c-proj É a função geral que se tem em projeto, quando não ocupa nenhuma das outras.

Pessoas

V5.5 Ação da organização, organismos e funções.

Competência territorial.

Atribuição temática.

Atuação.

Operação.

Administração.

Governança. [34]

Agentes e Efeitos

  • Avaliação comparativa entre países mais e menos colaboradores no plano internacional [35]

Atuação de instituições de ensino superior

Incluiatribuições constitucionais e legais, atividades incumbidas edesenvolvidas; metas, objetivos e outros do 'PlanejamentoEstratégico' da Instituição etc.

A universidade enfrenta o desafio de fornecer a formação geral enquanto o mercado exige a segmentação de especialidades. Há aindaa possibilidade futura de se fazer pós graduação ou extensão nos temas dos projetos e do MP. A UFSM ou a USP Ribeirão Preto tem modelo de parceria interessante. Cabe à IES a supervisão técnico-disciplinar e a capacitação dos colaboradores e ao concedente a supervisão gerencial, de objetivos,orientação geral e ao projeto e a solução de dúvidas surgidas no exercício da função. Boa parte será feita pela própria IES, que ao atuar no preenchimento de lacunas para o exercício eficiente de atividade profissional, terá a oportunidade de otimizar a eficácia de seu ensino, complementando-o com habilidades úteis e práticas. CURSOS. Objetivos da graduação e perfil profissional desejado e destaque da intersecção com as habilidades desenvolvidas no Estágio. Eixos Formativos e Habilidades.


  • Conforme art 4º da Portaria nº 1.886/94/MEC, estão previstas como atividades complementares de formação, dentre outras, atividades de pesquisa, extensão, cursos variados, enriquecimento de ensino, monitorias e eventos, buscando com isso, garantir um espaço aberto para que cada aluno complemente os conhecimentos que considere necessários à sua completa formação profissional.
  • Definir uma carga horária mínima, e não um prazo mínimo, para participação em projetos na teia social.

aplica-se a lei do estágio 11788/08 [36], no que for pertinente.

| Cartilha de estágio da Puc-Campinas

HV5.Temas híbridos em Organizações e pessoas.

HV5.4/V7.3.1 Atribuição territorial.

Organizações em ordem alfabética

Grupos, Pessoas, Funções e Agentes de função

Combinações

Agentes e Mundo

Pessoas e espaço:

Publicado hoje, 28/08/14, pelo IBGE:

Brasil: - 202,7 milhões de habitantes - 5.570 municípios - 55,8% da população vive em apenas 5,4% dos municípios - 95% dos municípios tem até 100.000 habitantes

Estado de São Paulo: - 44.035.304 habitantes - 21,7% do país

Região Metropolitana de Campinas: - 3.043.317 habitantes - 10ª do país

Campinas: - 1.154.617 habitantes - 14ª cidade do país - 2ª cidade do país se excluirmos as capitais

Ferramentas pessoais
Espaços nominais

Variantes
Ações
Navegação
Temas
Perspectivas
Ferramentas